Pequeno guia da alimentação dos bebês

Avatar novembro 29, 2016 0 comments 1304 Visualizações
alimentação dos bebês

Todo pai quer ver seu filho crescendo e se desenvolvendo de forma saudável. Para isso, a alimentação dos bebês é fundamental, afinal, para correr, saltar, explorar o mundo e brincar bastante, haja energia!

E não se trata apenas de energia. Sabemos que o processo de crescimento exige a ingestão de proteínas para a construção de células fortes. Além disso, incluir vitaminas à alimentação garante a proteção contra doenças.

Portanto, a chave para o crescimento saudável é simples: nutrição balanceada. Mas será que isso é possível até mesmo na alimentação dos bebês? Continue a leitura e descubra agora como garantir a saúde de seu filho com uma boa alimentação!

Fases do desenvolvimento e alimentação dos bebês

Aleitamento materno

Embora a amamentação seja uma preocupação constante, especialmente para papais e mamães de primeira viagem, ela é a forma mais simples e prática para garantir a nutrição completa do bebê.

O leite materno contém a combinação exata de nutrientes que a criança precisa, além de garantir que a criança receba anticorpos – células de defesa do corpo – que combatem doenças e infecções.

Por isso, desde o nascimento até os seis meses de idade, a criança deve receber como alimento, única e exclusivamente o leite materno. Água, chás e sucos não devem ser dados ao bebê. Todas as suas necessidades são satisfeitas por meio da amamentação.

Para que o bebê receba todos os elementos essenciais para a boa nutrição, o importante nesse período é cuidar da alimentação da mãe. Mas, ao contrário do que muitos dizem, ela não precisa comer por dois!

Não é a quantidade de comida que a mãe ingere que vai fazer a diferença, o importante mesmo é a variedade. Se ela tiver um prato sempre colorido, cheio de verduras e frutas de cores diferentes, além das fontes de proteína e energia, ela estará bem alimentada e a criança também!

Desmame

Após os seis meses de idade, a criança pode começar a receber outros alimentos. No caso de bebês que não são amamentados, a inclusão de outros alimentos deve começar a partir dos 4 meses, sempre sob orientação do pediatra.

Purês de legumes e frutas são ótimas opções para iniciar esse processo, porém, o ideal não é batê-los no liquidificador. Amassar com um garfo deixa o alimento mais consistente, o que é importante para o bebê.

No início, é normal a criança não gostar tanto destes novos alimentos, afinal, ele passou meses recebendo apenas o leite materno, que é levemente adocicado. Por isso, é preciso oferecer várias vezes um mesmo alimento, em refeições diferentes, até que a criança acostume seu paladar a ele. Também não se deve exigir que o bebê coma toda a quantidade que está no prato.

Aos poucos, as papinhas devem ficar cada vez menos pastosas e mais sólidas. Para isso, basta não amassar tanto e deixar alguns pedacinhos. Perto dos dois anos, a criança deve estar comendo alimentos na mesma consistência oferecida ao restante da família.

Importância dos nutrientes essenciais

Tão importante quanto a introdução dos alimentos, é garantir que o bebê receba os nutrientes necessários para seu desenvolvimento. Para crescer de forma saudável, o bebê precisa receber três grupos básicos de alimentos. É importante conhecê-los e garantir que estejam presentes em todas as refeições:

Energéticos

Como o nome diz, fornecem energia – o “combustível” para o corpo funcionar. Cereais e seus derivados (arroz, milho, trigo, pães, macarrão, etc), batatas e frutas compõem este grupo.

Construtores

Fornecem as proteínas usadas para construir nossas células. São encontrados principalmente nos feijões, carnes, leite, ovos e seus derivados.

Reguladores

Garantem o bom funcionamento do organismo e previnem doenças. Frutas, legumes e verduras cumprem essa função. Na dúvida, use a regra das cores: quanto mais colorido o prato, melhor!

Nutrição e desenvolvimento

Garantir a alimentação adequada é uma das medidas mais importantes para promover o desenvolvimento da criança. Sem esse cuidado, o crescimento físico fica comprometido, e há estudos que mostram danos também às funções cognitivas. Corpo, mente e capacidade de aprendizagem dependem de uma boa nutrição.

Entendeu como a alimentação dos bebês influencia seu desenvolvimento? Por isso, é sempre importante aprender mais sobre esse assunto. Ainda tem dúvidas? Compartilhe-as nos comentários!

728x90 - Pequeno guia da alimentação dos bebês