Clarinha nasceu, faça uma previdência privada pra ela!

Anderson Mathias Siqueira outubro 21, 2019 0 comments 108 Visualizações
Previdência Privada

Quem aí se deparou com o avô, avó, tio ou tia dando conselhos carinhosos e sugerindo contratar uma previdência ou poupança para o filho ou filha recém-nascido?

Ou já cansou de se deparar com as campanhas dos Bancos no mês das crianças convidando papais e mamães a investirem em planos de previdência?

Acho que a maioria de nós pais já passamos por isso. Como forma de garantir o futuro, seja para bancar a faculdade tão desejada, fazer intercâmbio no exterior ou até mesmo para aproveitar o tempo e usufruir do poder dos juros compostos. Realmente o PGBL e o VGBL são ótimas ferramentas financeiras para quem tem 10, 15, 20 anos de acumulação pela frente.

Além de atrativa e principalmente convidativa a ideia de investir a partir de R$ 100 reais mensais para no futuro ter uma reserva capaz de realizar os sonhos dos “pais” inicialmente. Isso mesmo, muitas vezes sonhamos pelos filhos e esquecemos de nós. Somos pais, é aceitável. O problema é que este tipo de decisão na maioria das vezes é emocional e sem nenhuma avaliação financeira mais aprofundada.

Imagine que antes de escolher cuidar do futuro dos nossos filhos, deveríamos prioritariamente cuidar primeiro do nosso. Calma, nada de egoísmo ou individualismo na minha colocação. Mas pensar e agir a partir do que sugiro pode ser crucial quando o assunto é a manutenção da qualidade de vida e o futuro dos nossos filhos caso aconteçam imprevisto conosco.

Faz sentido pra você?

Elenquei 4 pontos que devemos levar em consideração. Vamos a eles:

 

1 – Plano de saúde

Descuidar desse ponto pode gerar a falência da família. Os custos da saúde particular são exorbitantes e proibitivos para a maioria dos brasileiros. E infelizmente em muitos casos o SUS não tem a capacidade de oferecer o tratamento adequado. Não depender somente do plano de saúde oferecido pela empresa deve ser uma das prioridades de pais que querem garantir o futuro dos seus filhos.

 

2 – Reserva de Emergência

Premissa básica de qualquer planejamento financeiro, ter uma reserva que garanta pelo menos de 6 a 12 meses da renda do casal para uso em caso de necessidades não previstas. Afinal não temos a capacidade de prever o futuro e ele pode nos pregar peças indesejadas. Por exemplo, ficar desempregado, bater o carro ou passar por crises financeiras como a que vivemos recentemente no Brasil. Passar por eventos assim pode ser menos traumático se o casal tem recursos que mantenham a família evitando entrar em empréstimos ou até ter que dispor do patrimônio.

 

3 – Seguro de Vida

Sim, esse é o produto que pais deveriam olhar com mais carinho e atenção, pois é indiscutível a sua importância quando o assunto é a manutenção da qualidade de vida da família. Isso porque faz tempo que os seguros de vida oferecem soluções para uso em vida, no caso dos pais, que podem ficar inválidos ou serem acometidos por uma das doenças graves cobertas como câncer, AVC e Infarto, além do evento morte. Calcular os valores de capital que garantam o tratamento ou em casos de morte a reserva financeira suficiente para manter a renda familiar e os objetivos e sonhos futuros são prioridade.

O mito de que é caro ter um seguro não passa de desinformação. Quer um exemplo?

Um pai com 32 anos de idade poderia com R$ 100 mensais contratar:

* 240mil de capital por morte + 240mil de invalidez por acidente + 160mil de doenças graves.

Ninguém pode prever o futuro, mas pode se prevenir e garantir conforto e tranquilidade para a família e a si próprio caso venha a ficar inválido, adoecer ou faltar.

 

4 – Plano de Previdência Privada

Perceba, planos de previdência são ótimos para acumulação de longo prazo, principalmente o PGBL que proporciona benefícios tributários que geram “restituição de IR” que pode ser usado para custear uma apólice de seguro de vida, ou ser reinvestida complementando a renda futura dos pais ou um plano para os filhos.

Ponto importante, a Tabela Regressiva não é a melhor opção para quem faz plano de previdência para os filhos e planeja resgatar para pagar a faculdade, ou fazer intercâmbio. Consulte um especialista para escolher o melhor plano caso a caso.

Entendam papais e mamães, só depois que vocês garantirem o planejamento e manutenção financeira de vocês protegendo o presente e se preparando para o futuro é que deveriam pensar em fazer o famoso plano para o pequeno príncipe ou princesa.

Digo isso como pai e especialista em previdência privada que como vocês também deixei o coração falar mais alto e sim, claro, com certeza, contratei um plano de previdência para minha princesa. Porém o fiz após seguir o que compartilhei com vocês nos itens 1,2,3.

Reflita, reveja, busque ajuda profissional e faça o melhor pra você, assim estará cuidando também dos seus filhos.

Até breve,