Sala de Parto: um breve resumo de tudo que poderá acontecer

Julia Bonn outubro 7, 2019 0 comments 30 Visualizações
sala parto - Sala de Parto: um breve resumo de tudo que poderá acontecer

Um belo dia você está em casa e eis que na madrugada daquele nono mês de gestação a bolsa amniótica se rompe. Você pega a bolsinha do bebê, os seus documentos, e sai correndo para a maternidade. O que vai acontecer depois disso?

Você será acolhida por uma equipe de saúde que constará basicamente de médicos (obstetra e pediatra), enfermeiros e técnicos de enfermagem. Após ser examinada pelo obstetra, uma vez constatado o trabalho de parto, e confirmado o desejo pelo parto normal, você será colocada dentro de uma sala chamada sala de parto. É nesta sala que você ganhará o seu bebê. Esta “sala” nada mais é que um quarto comum (com tv, frigobar, etc) mas que tem uma maca, bercinho e medicações e instrumentos imprescindíveis para um parto seguro.

Para este momento a legislação brasileira autoriza a presença de uma acompanhante – geralmente o pai do bebê – mas poderá também ser a sua sogra, mãe, irmã ou qualquer outra pessoa que esteja com você e te ajude neste processo.

Depois de longas horas de contrações e repetidas avaliações quanto a progressão do parto o obstetra vai chamar o pediatra – o momento finalmente chegou. O pediatra irá coletar rápida história gestacional, checar os seus exames pré-natais (portanto não os esqueça em casa!) e arrumar um bercinho, para o caso do seu bebê precisar de mais cuidados.

Se o bebê nascer bem ele irá direto para o seu colo e você experimentará a melhor sensação do mundo. O cordão umbilical poderá ser clampeado pelo pai, se ele assim desejar, no momento oportuno. Este procedimento é indolor para o bebê e importante para que se crie o vínculo paterno. A amamentação já poderá ser iniciada e um vínculo materno se formará. É normal que seu bebê nasça roxinho e, aos poucos, recupere a cor rosada.

A presença do pediatra é fundamental pois ele é o profissional mais capacitado para reanimação do bebê, se, digamos, as coisas não forem tão bem assim. Ele examinará o seu filho quanto a presença de malformações, tipo de choro, avaliará os sinais vitais e, por fim, dará uma “nota” chamada APGAR; esta nota varia de 0 a 10 e se baseia no exame físico no fim do primeiro e quinto minutos de vida. Esta “nota” reflete a vitalidade do bebê ao nascimento e ajudará o pediatra a definir condutas.

Quais procedimentos serão feitos com meu bebê após o nascimento? Isto vai depender. Alguns bebês precisarão de controle glicêmico (sim, vão “furar” seu bebê algumas vezes para que se tenha controle do “dextro”), outros precisarão ficar em observação num bercinho aquecido (seja para controle da temperatura ou normalização da respiração) e outros poderão precisar de melhores cuidados em um centro de tratamento intensivo neonatal – a UTIN. Também deverão receber uma injeção de vitamina K (ela é importante pois evita hemorragia) e colírio nos olhos e, se meninas, na vagina – tudo isto para prevenir infecções. É importante que você saiba que nenhum procedimento será feito com seu bebê a menos que seja essencial e que todos eles são baseados em evidências científicas para que ele cresça forte e saudável.

Normalmente, se não houver complicações, a alta deverá ocorrer em até 48 horas de vida. Este tempo de internação é importante e deverá ser respeitado, pois alguns bebês (e puérperas) poderão apresentar complicações nas horas seguintes ao parto. O primeiro banho só será feito no dia seguinte ao nascimento e, é normal que seu bebê perca um pouco de peso.

Findadas as 48 horas você finalmente irá para casa desfrutar dos melhores e mais difíceis momentos da sua vida e uma nova jornada se iniciará. Muitas dúvidas e incertezas virão à tona mas você só precisa saber que este sentimento é passageiro e comum a todos os pais, e, que com o tempo, você vai tirar de letra! Agora que você já sabe de tudo que poderá acontecer é só respirar fundo e curtir este momento.