A Saúde das Crianças na Era Digital

Julia Bonn agosto 22, 2019 0 comments 170 Visualizações
saúde na era digital

Que atire a primeira pedra aquele que nunca distraiu o seu filho com um dispositivo tipo smartphone! Todos que temos filhos sabemos: um aparelho destes é um verdadeiro aliado na hora que acalmar um choro, colocar para dormir ou, com a graça de Deus, tirar uns minutinhos para si próprio. Fato é que a realidade é mais dura: estudo recente mostra que 96,6% das crianças de até 4 anos de idade, na sala de espera de uma clínica pediátrica de baixa renda, usavam dispositivos móveis e 75% delas possuíam seu próprio dispositivo! Aliado a esta realidade estão a falta de limites e supervisão dos pais e cuidadores, o que coloca a saúde deles em extremo risco.

Os efeitos negativos são inúmeros; dentre eles podemos citar: comprometimento do sono, aprendizado e atenção, variações de humor (com risco de depressão e ansiedade), alterações do sistema hormonal (obesidade e sobrepeso), comprometimento da audição e visão, e o risco de exposição a grupos de comportamentos de risco e contato com pessoas desconhecidas. Resumidamente: maior exposição a crimes de pedofilia e pornografia. Olhando desta forma os aparelhos não parecem tão inofensivos, não é mesmo?

Visando cuidar da saúde dos pequenos a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda o tempo de uso adequado para cada idade. Para os menores de dois anos a recomendação é de zero minutos de exposição a mídias pois as interações sociais com os cuidadores são muito melhores para o desenvolvimento da linguagem, da inteligência interação social e das habilidades motoras, além de proporcionar momentos de aprendizagem global, capacidade de resolução de problemas e habilidade de controle emocional. Todos estes cuidados tornarão a criança um adulto mais saudável e resiliente.

Entre a idade de 2 e 5 anos a recomendação é de 1 hora por dia; neste cálculo devemos considerar o período diário que a criança permanece na TV, celular, tablets e videogames.

Acima dessa idade é recomendável o tempo até 2 horas. O acesso deve ser monitorado e permitido apenas ao que é liberado para cada idade, respeitando-se a classificação indicativa, além de evitar conteúdos de violência, sexual, de comportamentos inadequados.

Que tal deixar os aparelhos um pouco de lado e dar uma volta no parque? A sua saúde agradece, e a dos pequenos também!