O que fazer quando sua esposa não consegue amamentar o bebê?

Avatar novembro 29, 2016 0 comments 3285 Visualizações
esposa não consegue amamentar o bebê

Todo pai de primeira viagem fica muito ansioso com esta experiência. São muitas novidades para lidar, uma mudança brusca na rotina e a imensa responsabilidade de cuidar de um ser totalmente dependente.

Entretanto, é inegável que muitos pais têm a expectativa que as mães, com seu instinto materno, saibam lidar com a maioria das situações. Então surge uma situação em que a mãe não consegue mais dar todas as respostas: ela não consegue amamentar o bebê. Não importa a razão, neste momento é imprescindível o suporte do companheiro.

Neste post discutiremos os principais fatores relacionados à impossibilidade do aleitamento e como a presença de um pai bem orientado é fundamental. Descubra o que fazer quando sua esposa não consegue amamentar o bebê!

Derrubando mitos

Em primeiro lugar, um pai informado pode ajudar a derrubar um dos maiores mitos que rondam as cabeças maternas quando elas sentem que não consegue amamentar: o mito de que têm pouco leite.

Algumas mulheres acreditam que têm dificuldade para amamentar pois possuem leite insuficiente, ou em qualidade, ou em quantidade. Esta condição, chamada Hipogalactia, é extremamente rara, sendo um diagnóstico de exclusão na maior parte dos casos.

No momento em que sua parceira se sentir incapaz por isso, oriente-a que ela é capaz de amamentar, que deve manter a calma, ingerir bastante líquido e se concentrar para uma pega adequada do recém-nascido ao seio.

É importante ressaltar que, no início, a produção de leite se limita ao colostro, uma secreção mais clara e fluida, que passa a impressão de ser menos adequada para o neném. No entanto, ela é rica em gorduras, vitaminas e outros nutrientes importantes nos primeiros dias.

É recomendado, ainda, acompanhar sua esposa nas consultas ao pediatra, pois inúmeras mulheres creem que não estão amamentando bem, mas seu filho está crescendo, ganhando peso e desenvolvendo adequadamente, fazendo com que isso seja apenas uma impressão errada.

Lidando com o maior vilão

Em alguns casos, há realmente uma dificuldade de amamentação, com alguma repercussão no peso do lactente. O maior responsável por isso é a má pega do recém-nascido ao seio materno. Essa situação não precisa de medicamento e não impede que o processo de amamentação continue.

O parceiro deve, então, estimular que a mãe continue tentando, de acordo com orientações médicas importantes: ela deve estar em posição confortável, em contato pele a pele com o filho, que deve estar com o corpo e cabeça alinhados, abocanhando todo o mamilo, não apenas o “bico”, com a boca aberta e auxílio da língua. A mãe deve alternar as mamas, mas sempre observando que deve esvaziar toda a mama antes de oferecer a outra.

Ficando atento a contraindicações

Há algumas situações em que a mãe está proibida de amamentar o bebê, pois o risco é maior que o benefício. Isto inclui doenças maternas, como AIDS, Câncer em tratamento com quimioterapia, doenças do recém-nascido, como galactosemia e doença do xarope de bordo.

Nesses casos, o pai deve estar pronto para oferecer suporte psicológico à mãe, de maneira que ela não se sinta culpada, buscando fornecer informações sobre banco de leite ou fórmulas lácteas, os substitutos alimentares ideias para essa desafortunada situação.

Portanto, o papel do pai nesta situação pode fazer total diferença no processo de amamentação, revertendo possíveis dificuldades e sabendo lidar com eventuais contraindicações absolutas.

O pai não deve hesitar em buscar maiores informações quando a mãe não consegue amamentar o bebê, entrando em contato com o pediatra da criança ou com o banco de leite, que promove campanhas e consultas voltadas para uma amamentação correta.

E então, pronto para ajudar a mamãe caso ela precise? Não deixe de assinar nossa newsletter para receber mais dicas como essas diretamente na sua caixa de entrada!

728x90 - O que fazer quando sua esposa não consegue amamentar o bebê?