6 mitos e verdades sobre as o uso de bicos no bebê

Avatar novembro 13, 2016 0 comments 4037 Visualizações
mitos e verdades sobre as o uso de bicos

O assunto costuma ser bastante polêmico, envolvendo defensores e opositores na rixa entre enaltecer suas vantagens ou desvantagens. Mas, na verdade, mesmo que muitos pais e profissionais sejam contra, o uso de bicos ainda é adotado pela grande maioria das pessoas.

O poder de acalmar o bebê é sedutor, trazendo conforto e tranquilidade para ele e também para os seus cuidadores. Porém, principalmente para os pais de primeira viagem, é importante conhecer melhor esse mundo e contribuir para um crescimento mais saudável dos filhos. Portanto, no post de hoje, esclarecemos os 6 principais mitos e verdades sobre o uso de bicos no bebê! Vamos lá?

1. O uso de bicos faz mal à criança e deve ser abolido

Mito! O que acontece é que seu uso com muita frequência e por um período prolongado pode gerar problemas na arcada dentária, além de dificuldades para mastigar, respirar, falar, entre outras.

Nesse caso, você pode contar com a ajuda de fonoaudiólogos, que recomendam que o ideal é usar a chupeta até os 2 ou 3 anos de idade. Dessa forma, os danos não são graves ou, então, podem ser facilmente revertidos.

2. Abandonar a chupeta é sempre traumático para a criança

Mito! Embora seja comum, já que a maioria das crianças estabelece um vínculo afetivo com o seu bico, algumas delas simplesmente se desinteressam com o passar do tempo. Se o processo for difícil, é bom tentar tirar o objeto da rotina da criança aos poucos, espaçando o seu uso. Uma boa dica é não deixar chupetas espalhadas pela casa em locais de fácil acesso.

Tentar combinar um momento para dar o bico “de presente” para evitar seu uso é uma estratégia bastante utilizada e que pode ser eficiente. Apenas tome cuidado para não subornar o seu filho, estimulando-o a fazer determinadas coisas somente mediante alguma recompensa.

3. Usar bico diminui a chance de morte súbita

Verdade! O hábito está relacionado à menor incidência de morte súbita, já que facilita a respiração pela boca e o despertar, evitando uma possível asfixia durante o sono. Para reforçar a segurança, evite também o excesso de roupas e de objetos como travesseiros e cobertores, que podem cobrir o rosto do bebê enquanto ele dorme.

4. A própria criança deve escolher o momento de interromper o uso

Mito! A chupeta é como um conforto, um objeto pelo qual muitas crianças criam até certo apego emocional. Entretanto, elas ainda não são capazes de discernir sobre os riscos à sua saúde e desenvolvimento. Portanto, são os pais ou responsáveis que devem procurar informações para orientar sobre o uso de bicos e decidir o momento de incentivar o abandono.

5. As chupetas ortodônticas não oferecem riscos

Mito! Apesar de serem mais anatômicas e de se adaptarem melhor à cavidade bucal dos bebês, o uso não moderado de chupetas ortodônticas também pode causar danos ao desenvolvimento dos pequenos. Logo, mesmo que ela possa ajudar a reduzir os problemas bucais da criança, ainda deve haver atenção ao tempo de uso.

6. Chupetas de silicone têm maior durabilidade

Verdade! É claro que qualquer tipo de chupeta pode rasgar ou estragar de uma hora para outra, mas por ser um material menos poroso, o silicone tende a acumular menos bactérias. Isso é uma vantagem interessante, já que essa é uma preocupação constante quando o bico cai no chão. Além disso, o silicone acaba sendo mais durável que o látex quando em contato com a água e o calor durante a esterilização.

E então, gostou de aprender mais sobre o uso de bicos? Agora, você já pode ajudar a decidir se este será um item a ser incluído no enxoval do bebê. Para espalhar essas informações para outros pais, compartilhe este post nas suas redes sociais!

728x90 - 6 mitos e verdades sobre as o uso de bicos no bebê